Cavalcante: conhecendo a Santa Bárbara

06:33


Cavalcante é um pequeno Município do estado do Goiás, localizado ao norte da Chapada dos Veadeiros. Apesar de não ser o destino mais frequente para quem visita à região, que muitas vezes opta por ficar em Alto Paraiso (mais estruturada) e São Jorge, roteiros mais difundidos e que guardam mais proximidade a Brasília, o lugar abriga cerca de 60% da área total do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Chegando-se em Alto Paraíso, são, aproximadamente, mais 90 km de estrada.

Confesso que, particularmente, fui a Cavalcante para conhecer a Santa Bárbara (a tão famosa cachoeira, com suas águas límpidas que variam do azul turquesa ao verde esmeralda, a depender dos raios de sol), mas o local é recheado de outras cachoeiras tão lindas quanto!

O lugar é cheio de peculiaridades, dentre elas, é contar com a presença de um o Sítio Histórico e de Patrimônio Cultural Kalunga (onde se localiza a Santa Bárbara). 

Foi uma viagem bem rápida de 2 (dois) dias, mas deu para aproveitar bastante.

O QUE SABER ANTES DE IR:

A cidade é pequena e a maioria dos estabelecimentos não aceitam cartão de crédito/débito (alguns lugares aceitam transferência bancária, mas o sinal de internet por lá é bem difícil);

O único banco que possui na cidade é o do Brasil;

Apesar do acesso à Cachoeira Santa Bárbara ser relativamente tranquilo, obrigatoriamente, você terá que fechar o passeio com um guia certificado. O preço desse serviço é de, no mínimo, R$ 70,00, sendo mais R$ 20,00, por pessoa, a taxa para entrada nas cachoeiras.

Tente ir o mais cedo que puder e evite datas em que há feriados prolongados, ou você não conseguirá nem dar um mergulhinho. A Santa Bárbara é sempre cheia. DICA: vá em um dia da semana, caso possível.

Evite ir em épocas chuvosas (entre outubro ao início de março), pois além de você não encontrar a Santa Bárbara com aquela água fantástica, há inúmeros perigos, dentre eles, a tromba d’água.

Recentemente houve um caso em que turistas foram afugentados por uma tromba d’água nessa própria cachoeira. 


Para esse tipo de passeio, é sempre recomendado tomar a vacina contra febre amarela (verifique se você já tomou nos últimos 10 anos – tempo de eficácia da vacina);

Não se esqueça de colocar na mala um agasalho, bota de trekking (já amaciada e/ou um par de tênis confortável), calças compridas maleáveis, leves e de secagem rápida.

Deixe apenas pegadas e leve apenas boas lembranças (e as fotos)!!


1° Dia: Fazenda Veredas


A Fazenda Veredas, que também tem estrutura para hospedagem, é um lugar super encantador e alberga várias cachoeiras em sua propriedade, ficando apenas a cerca de 5km do centro de Cavalcante.
Vista da trilha para as cachoeiras
Na referida fazenda, é possível fazer outros tipos de atividades, como passeios a cavalo, rapel e tirolesa.


Paga-se uma taxa de R$ 20,00 reais por pessoa, para poder desfrutar das seguintes cachoeiras:
• Cachoeira Veredas;
• Cachoeira Poço Encantado;
• Cachoeira Véu de Noiva;
• Cachoeira Veredinhas;
• Cachoeira Toca de Onça; 
• Cachoeira Cobiçada; 
• Cachoeira Canyon;
Cachoeira Veredinhas

Cachoeira Toca da Onça
Um dos poços da cachoeira toca da onça

Com certeza, é um local em que dá para passar mais de um dia, tranquilamente. As trilhas são bem identificadas, facilitando todo o acesso.



2° Dia: Santa Bárbara 

É importante acordar bem cedo para ir fazer a trilha, costuma encher bastante por lá (o CAT abre às 8h). E na hora do” rush” tem limite de tempo, de apenas 1h, para ficar na cachoeira.

Não tente fazer a trilha por conta, a comunidade vive voltada ao turismo na região e, para entrar nas cachoeiras, você obrigatoriamente terá que contratar um guia. Como estamos acostumados a fazer trilha e estávamos em um carro que aguentava o tranco (e não sabíamos da restrição), resolvemos ir somente guiados pelo nosso instinto de aventura.

No entanto, chegando na Santa Bárbara, fomos abordados por vários guias, que ficaram bem "nervosos" pelo fato de estarmos lá sem um instrutor. Então, não caia nessa fria, feche com um guia e fique despreocupado. 

Para evitar transtornos, contrate um guia no CAT (Centro de Atendimento ao Turista) em Cavalcante- GO (telefones: 62-9975 8874 e 62-9629 1766). 

foto do extraída da internet
Na própria comunidade Kalunga também é possível conseguir um guia.


A trilha é bem gostosa de fazer, a paisagem é incrível, além de ser de dificuldade moderada (somente por causa da distância de 5km). No entanto, caso você esteja com um carro alto, é possível chegar bem próximo à cachoeira (isso porque atravessar-se um pequeno córrego, onde carros de passeio, provavelmente, não consigam ultrapassar).


Para quem não quer ir com o próprio carro, bem como não está disposto a andar tanto, tem a opção de pegar um “pau de arara”, no valor de R$ 5,00 a R$ 10,00 por pessoa, que deixa quase na entrada da cachu (anda-se mais uns 2km, vai!).

Você primeiro irá se deparar com Santa Barbarzinha, o primeiro poço da cachoeira Santa Bárbara. Por si só, já impressiona, o visual é fantástico e ela fica bem mais vazia. Ótima para banho e contemplação.


Por gloriosos 10 minutos, conseguimos desfrutar do local totalmente vazio!

Fomos em meados de abril, em um final de semana totalmente aleatório, então, estava naturalmente mais vazio do que em épocas mais concorridas do ano.

Logo após, você já se depara com a exuberância da Sta. Bárbara, com uma queda d’água relativamente alta (35 metros) e um poço bem grande para banho, além de vários lugares para ficar em sua margem.
Olha só a cor dessa água!
 Merece, ao meu ver, o título de uma das mais bonitas! 
Pretendo voltar para conhecer as demais cachoeiras da região, dentre elas a da Capivara (dessa vez, contratarei o guia!).

  • Dicas de Hospedagem:
Pousada Vale das Araras

Pousada Manacá


Beijos e até a próxima!

Você pode gostar também

0 comentários

MAIS ACESSADOS

FANPAGE

AUTORAL

Todos os textos são autorais e estão assegurados pela Lei nº 9.610/98. Sendo proibida a sua reprodução total o parcial. Todas as fotos contidas nas postagens são autorais.